Seg - Sex: 8:00 às 11:00 / 12:30 às 17:00

Venda à Ordem (Operação Triangular) – Lançamentos Contábeis

Venda à Ordem (Operação Triangular) – Lançamentos Contábeis

Venda à Ordem (Operação Triangular) – Lançamentos Contábeis

Nas operações de compra e venda de mercadoria, matéria-prima e etc., é muito comum a operação de venda à ordem ou operação triangular, que consiste no vendedor, após acertada a operação, aguarda a ordem do comprador (adquirente originário) indicando a empresa para qual efetivamente deve ser entregue a mercadoria (adquirente final).

Normalmente essa operação de venda à ordem tem como finalidade uma maior agilidade na distribuição dos produtos vendidos e a diminuição de custos de transporte e seguro.

Neste trabalho, trataremos dos modelos de lançamentos contábeis na operação de venda à ordem ou operação triangular.

I – Fornecedor (Vendedor)

O Fornecedor (vendedor) emite duas notas fiscais, uma nota fiscal seguirá para o adquirente originário (comprador) para contabilização e efeitos de cobrança e a outra nota fiscal acompanhará a mercadoria até o adquirente final.

Apresentaremos os modelos de lançamentos contábeis da nota fiscal emitida para o adquirente originário (comprador):

a) pela contabilização da receita da venda de mercadorias

D Clientes/Contas a Receber/Duplicatas a Receber (Ativo Circulante)
C Receita Bruta da Venda de Mercadorias (Conta de Resultado) R$ 100.000,00

b) Impostos e contribuições incidentes sobre a receita de venda de mercadorias:

b.1) pela contabilização do ICMS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D ICMS sobre a Receita da Vendasde Mercadorias (Conta de Resultado)
C ICMS a pagar (Passivo Circulante) R$ 18.000,00

b.2) pela contabilização do PIS/PASEP incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D PIS/PASEP sobre a Receita da Vendas de Mercadorias (Conta de Resultado)
C PIS/PASEP a pagar (Passivo Circulante) R$ 1.650,00

b.3) pela contabilização da COFINS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D COFINS sobre a Receita da Vendas de Mercadorias (Conta de Resultado)
C COFINS a pagar (Passivo Circulante) R$ 7.600,00

c) pela contabilização da baixa do estoque:

D Custo das Mercadorias Vendidas (Conta de Resultado)
C Estoque de Mercadorias (Ativo Circulante) R$ 60.00,00

d) pela contabilização do recebimento da duplicata:

D Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante)
C Clientes/Contas a Receber/Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) R$ 100.00,00

e) pela contabilização do pagamento dos impostos e contribuições incidentes sobre a receita de venda de mercadorias:

e.1) pela contabilização do pagamento do ICMS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D ICMS a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 18.000,00

e.2) pela contabilização do pagamento do PIS/PASEP incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D PIS/PASEP a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 1.650,00

e.3) pela contabilização do pagamento da COFINS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D COFINS a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 7.600,00

 

Nota Editorial

1ª) Quanto as mercadorias que geram direito a crédito do ICMS, solicitamos consultar o Regulamento do ICMS do seu Estado.

2ª) Também recomendamos a consulta ao Regulamento do ICMS do seu Estado sobre a nota fiscal de remessa que acompanhará a mercadoria até o cliente.

3ª) Somente é admissível apropriação de crédito do PIS/PASEP e da COFINS para as empresas tributadas pelo lucro real e apuram o PIS/PASEP e a COFINS na sistemática não cumulativa.

4ª) Ressaltamos que a contabilização da baixa do estoque será realizada no momento da emissão da nota fiscal de remessa e também que a emissão das duas notas fiscais (nota fiscal que seguirá para o adquirente originário (comprador) e a segunda nota fiscal que acompanhará a mercadoria até o adquirente final) seja realizadas simultaneamente.

II – O Adquirente Originário (Comprador)

O adquirente originário (comprador) emite uma nota fiscal para o seu cliente (adquirente final) para efeitos de contabilização e cobrança, que receberá a mercadoria diretamente do fornecedor, observando que fará os lançamentos contábeis como se fosse uma venda normal.

Apresentaremos os modelos de lançamentos contábeis da nota fiscal recebida do fornecedor (vendedor):

a) pela contabilização das mercadorias adquiridas entregue diretamente ao cliente (adquirente final), dos impostos e contribuições:

D Estoque de Mercadorias para Revenda (Ativo Circulante) R$    72.750,00
D ICMS a Recuperar sobre compra de mercadorias para revenda (Ativo Circulante) R$    18.000,00
D PIS/PASEP a Recuperar sobre compra de mercadorias para revenda (Ativo Circulante) R$     1.650,00
D COFINS a Recuperar sobre compra de mercadorias para revenda (Ativo Circulante) R$     7.600,00
C Fornecedor (Passivo Circulante) R$ 100.000,00

b) pela contabilização do pagamento da duplicata ao fornecedor (vendedor):

D Fornecedor (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 100.00,00

Apresentaremos os modelos de lançamentos contábeis da nota fiscal enviada para o cliente (adquirente final):

a) pela contabilização da receita da venda de mercadorias

D Clientes/Contas a Receber/Duplicatas a Receber (Ativo Circulante)
C Receita Bruta da Venda de Mercadorias (Conta de Resultado) R$ 120.000,00

b) Impostos e contribuições incidentes sobre a receita de vendade mercadorias:

b.1) pela contabilização do ICMS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D ICMS sobre a Receita da Vendas de Mercadorias (Conta de Resultado)
C ICMS a pagar (Passivo Circulante) R$ 21.600,00

b.2) pela contabilização do PIS/PASEP incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D PIS/PASEP sobre a Receita da Vendas de Mercadorias (Conta de Resultado)
C PIS/PASEP a pagar (Passivo Circulante) R$ 1.980,00

b.3) pela contabilização da COFINS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D COFINS sobre a Receita da Vendas de Mercadorias (Conta de Resultado)
C COFINS a pagar (Passivo Circulante) R$ 9.120,00

c) pela contabilização da baixa do estoque

D Custo das Mercadorias Vendidas (Conta de Resultado)
C Estoque de Mercadorias (Ativo Circulante) R$ 72.750,00

d) pela contabilização do pagamento dos impostos e contribuições incidentes sobre a receita de venda de mercadorias:

d – 1) pela contabilização do pagamento do ICMS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D ICMS a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 21.600,00

d – 2) pela contabilização do pagamento do PIS/PASEP incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D PIS/PASEP a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 1.980,00

d – 3) pela contabilização do pagamento da COFINS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D COFINS a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 9.120,00

e) na hipótese de confrontar (valores a recuperar e os valores a pagar) os saldos das contas dos impostos e contribuições a pagar será:

e.1) pela contabilização do pagamento do ICMS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D ICMS a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 3.600,00

e.2) pela contabilização do pagamento do PIS/PASEP incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D PIS/PASEP a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 330,00

e.3) pela contabilização do pagamento da COFINS incidente sobre a receita da venda de mercadorias:

D COFINS a pagar (Passivo Circulante)
C Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) R$ 1.520,00

 

Nota Editorial

1ª) Quanto as mercadorias que geram direito a crédito do ICMS, solicitamos consultar o Regulamento do ICMS do seu Estado.

2ª) Somente é admissível apropriação de crédito do PIS/PASEP e da COFINS para as empresas tributadas pelo lucro real e apuram o PIS/PASEP e a COFINS na sistemática não cumulativa.

3ª) A título de exemplo, admita-se que a empresa adquirente originária (comprador) seja optante pelo lucro real e nos valores a pagar do ICMS, PIS/PASEP e da COFINS efetuou-se o confronte dos créditos admitidos e dos débitos sobre a venda da mercadoria.

III – O Cliente (Destinatário Final)

O cliente (destinatário final) receberá duas notas fiscais, uma do adquirente originário (comprador) que lhe vendeu a mercadoria para efeitos de contabilização e cobrança e a segunda nota fiscal de remessa que acompanhou a mercadoria:

a) pela contabilização da receita da venda de mercadorias

D Estoque (Ativo Circulante) R$   87.300,00
D ICMS a Recuperar sobre compra de mercadorias para revenda (Ativo Circulante) R$   21.600,00
D PIS/PASEP a Recuperar sobre compra de mercadorias para revenda (Ativo Circulante) R$     1.980,00
D COFINS a Recuperar sobre compra de mercadorias para revenda (Ativo Circulante) R$     9.120,00
C Fornecedor (Passivo Circulante) R$ 120.000,00

b) pela contabilização do pagamento da duplicata ao adquirente originário (comprador):

D Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante)
C Clientes/Contas a Receber/Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) R$ 120.00,00

 

Nota Editorial

1ª) Quanto as mercadorias que geram direito a crédito do ICMS, solicitamos consultar o Regulamento do ICMS do seu Estado.

2ª) Somente é admissível apropriação de crédito do PIS/PASEP e da COFINS para as empresas tributadas pelo lucro real e apuram o PIS/PASEP e a COFINS na sistemática não cumulativa.

Data de publicação:30/11/2017

Fonte: https://www.cenofisco.com.br/Documento/Contabilidade/Lancamentos-Contabeis/Titulo/Venda-a-Ordem-Operacao-Triangular-Lancamentos-Contabeis/7ddcf231e131ca42ce76c9fd7d21cb75?&termo=contabiliza%C3%A7%C3%A3o%20icms&fraseExata=true

Iniciar Atendimento
1
WhatsApp
Suporte - CRISVILAND
Olá,
Como podemos te ajudar?