Seg - Sex: 8:00 às 11:00 / 12:30 às 17:00

Blog

Empresa familiar: descubra como não se prejudicar.

Quando se fala a respeito de uma empresa familiar, é comum que se imagine um grupo de familiares trabalhando junto, em perfeita harmonia, em prol de um mesmo objetivo.

A grande questão é que, quando as relações familiares e comerciais se misturam, vários atritos tendem a ocorrer. Não é incomum que a proximidade entre parentes ultrapasse as boas práticas empresariais, gerando problemas e reduzindo a eficiência da empresa.

Problemas como esses podem afetar até mesmo o caixa da empresa, ocasionando prejuízos e criando um risco real de falência. O caminho para evitar situações como essas é a prática de uma gestão séria e profissional.

Você gostaria de saber como aplicar uma administração eficiente em sua empresa familiar? Continue lendo e descubra como obter sucesso nessa tarefa.

Defina de forma clara a remuneração de sócios e colaboradores

Um erro muito comum entre empresas familiares é confundir a remuneração de seus sócios e colaboradores — que muitas vezes são membros da família — com o saldo restante no caixa, depois que todas as despesas são pagas.

Além de gerar incertezas quanto aos pagamentos, pois existe sempre a possibilidade de que em determinados períodos a empresa feche o caixa no vermelho, essa atitude impede que novos investimentos, que poderiam alavancar o negócio, sejam feitos.

Isso ocorre porque, uma vez que todo o capital acumulado é dividido entre os sócios e colaboradores, não sobram recursos para se aplicar em áreas importantes, como em novos equipamentos ou marketing.

Para evitar esse problema, é importante que sejam definidos os valores e as datas em que cada remuneração deve ocorrer. Desse modo, é possível organizar os pagamentos e ainda manter o fluxo de caixa da empresa saudável.

Separe despesas pessoais de empresariais

Tão problemático quanto não definir um cronograma organizado de remunerações, é misturar as despesas pessoais com aquelas relacionadas à atividade da empresa familiar.

Essa atitude torna os registros financeiros do negócio confusos, de modo que a tarefa de analisar o fluxo de caixa fica ainda mais difícil, aumentando assim as chances de que gargalos financeiros passem despercebidos.

A solução mais adequada é que cada sócio da empresa tenha sua conta particular, separada da conta jurídica do negócio, e que faça uso de recursos próprios, auferidos por meio de sua remuneração, para administrar suas despesas.

Busque pessoal qualificado

É comum que no começo de uma empresa, quando os recursos ainda são escassos, o empreendedor cuide de várias tarefas ao mesmo tempo. Essa experiência fornece a ele uma visão mais completa do negócio, mas também é preciso considerar que quanto mais especializado um profissional, melhor o seu serviço.

Levando esse fato em consideração, é importante que uma empresa familiar, assim como os demais empreendimentos, elabore um processo seletivo sério e imparcial e selecione seus colaboradores.

Faz-se necessário aceitar que nem sempre um membro da família é a pessoa mais indicada para ocupar determinada função e que abrir espaço para pessoas de fora tende a otimizar os resultados do negócio.

Por fim, para manter a integridade econômica de uma empresa familiar, é preciso encará-la de modo imparcial, como um empreendimento.

Caso as relações familiares sobreponham a hierarquia profissional, uma série de conflitos internos entre os sócios tende a ocorrer, prejudicando a viabilidade do negócio.

Portanto, para que empresas familiares prosperem, elas devem ir além de laços parentais e implementar medidas claras para separar família e negócio. Sem esse cuidado, é simplesmente impossível que seja estabelecida uma gestão eficiente.

Agora que você descobriu quais cuidados deve ter para administrar uma empresa familiar, que tal continuar a receber informações úteis? Curta nossa página no Facebook e tenha acesso a mais conteúdos relevantes.

Abraços, Cris 😉

Deixe um comentário

Iniciar Atendimento
1
WhatsApp
Suporte - CRISVILAND
Olá,
Como podemos te ajudar?